Capturar

Ciência e mitologia colidem sob o mar no épico apocalíptico da , O Despertar. Criado por Scott Snyder ( Batman ) e Sean Murphy ( Punk Rock Jesus ), esta minissérie vencedora do Eisner Award  é tão inteligentemente escrita como é bonita de se ver.  Aqui estão as cinco principais razões pra você ler “O Despertar” .

1.) Scott Snyder escreveu.

scottsnyder

Snyder começou a escrever histórias em quadrinhos para a Marvel Comics em 2009 até  que a Vertigo publicou seu primeiro trabalho autoral a série Vampiro americano , o que lhe rendeu um prêmio Harvey e um Eisner de Melhor Série Nova em 2011. DC Comics o contratou logo depois, confiando-lhe dois de suas franquias mais amadas, Detective Comics e Batman , para o seu novo (na época) reboot  os novos 52.  A frente de Batman , Snyder criou bons arcos de histórias, como Corte das corujas, Morte em Família e Ano Zero. Fora de Gotham City, Snyder abordou O Monstro do Pântano dos Novos 52 e junto com Jim Lee desenvolveu a minissérie Superman: Unchained . O histórico de Snyder saber lidar com o Canon de grandes personagens tem se comprovado repetidamente, apesar da sua carreira ser ainda bem recente.

2.) São duas histórias pelo preço de uma.

thewake1658

A primeira parte é um thriller de suspense e ação, centradas em torno de heroína Dr. Lee Archer em um grupo de especialistas marinhos. A equipe foi montada em uma estação de perfuração submarina secreta onde o governo dos EUA capturou uma criatura aquática desconhecida, com o propósito de aprender mais sobre ela, o que seria de boa, desde que o a criatura permanecesse contida. Quando a criatura se liberta, tudo vai de mal a pior a para o nosso pequeno grupo de pesquisadores.

Parte II ocorre com as consequências da primeira parte, mas 200 anos depois. A segunda parte conta a história de uma jovem mulher chamada Leeward enquanto ela navega num mundo pós-apocalíptico traiçoeiro e encharcado, tentando vender cabeças de “Sereios” no mercado negro e ficar um passo à frente do exército. Se a primeira parte é uma obra-prima do horror, a Parte dois é uma divertida aventura de ficção científica com golfinhos cibernético e piratas com drones-papagaios.

3.) A arte é linda.

GalleryComics_V_1900x900_20140200_the_wake_7_52e711e44eae94.38855278-600x284

A arte de Sean Murphy realmente brilha neste hq, tanto nas profundezas escuras da Parte I  como na brilhante, colorida e futurista Parte dois. Murphy já tinha trabalhado com Snyder antes, em outra minissérie da Vertigo , Vampiro americano: Seleção Natural . e felizmente, eles se reuniram novamente. “O Despertar” é uma festa para os olhos, com sua série de painéis inspiradores e multi-páginas  com colorização impressionante. Não é nenhuma surpresa que Murphy tenha recebido o Eisner Award 2014 de Melhor Artista, por seu trabalho neste título. Ele co-criou o  título Chrononauts recém lançado pela Imagem Comics que também vale a pena conferir.

4.) Quem precisa de zumbis quando se tem sereios?

thewake51

Toda boa história precisa de um adversário digno e é aí que os “sereios” entram em jogo. Não são só mais rápidos e mais fortes do que nós míseros seres humanos , mas eles também criam alucinações que nos torna muito mais fácil de matar. Basta imaginar estar preso em uma plataforma de petróleo secreta à quilômetros sob o oceano e sendo perseguido por uma criatura aquática, humanoide e gigante determinada a devorá-lo.

5.) São apenas 2 encadernados que compilam 10 edições.

hq-do-dia-o-despertar-1

Uma coisa boa em uma minissérie é que elas são fáceis de ler. O Despertar é um passeio de montanha russa. No início da história se constrói lentamente até atingir um pico pra logo após mergulhar uma velocidade vertiginosa. Não há tempo para ficar voltando na história ou background dos personagens, faz isso apenas o suficiente para justificar a ação e para mantê-los em movimento. Tudo se resolve de forma rápida o que acabada sendo também uma desvantagem já que você fica querendo mais.

Anúncios